Clock Tower 3

PS2
Clock Tower 3 Packshot
Data de lançamento: 25 Junho 2003
Programador: Capcom
Editor: Capcom

Descrição geral

O terror da Capcom abre caminho em direcção à PS2, com novos fantasmagóricos acontecimentos...

Tendo sido originalmente um jogo para a PS Um, do estilo "apontar e clicar" (que não trouxe propriamente nada de novo ao género do terror de sobrevivência), a série Clock Tower aparece agora na PS2 na sua terceira encarnação, com um sistema de controle completamente novo e um argumento verdadeiramente assustador. Passado na Grã-Bretanha, com a vulnerável adolescente Alyssa Hamilton a executar o papel principal de uma rapariga verdadeira e profundamente aterrorizada, o Clock Tower 3 é um explosivo jogo de acção-aventura e solução de enigmas que se mete debaixo da pele... e fica bem agarrado.

A caça aos fantasmas começa quando Alyssa recebe uma carta da mãe proibindo-a categoricamente de regressar à casa da família, para sua própria segurança. Sendo do tipo obediente, dirige-se imediatamente à casa à procura da mãe e acaba por se envolver numa quantidade de problemas.

Numa história que abrange vários períodos de tempo, todos eles passados na velha cidade de Londres, o Clock Tower 3 faz subir a tensão até níveis críticos através de encontros enervantes e animações fascinantemente belas. Estas últimas são criadas nada mais nada menos que pelo falecido grande Kinji Fukasaku, o carismático realizador do festival de terror Battle Royale. E tal como seria de esperar do homem cuja obra foi proibida de ser exibida em muitos locais devido à perturbadora quantidade de acção sanguinária que apresenta, estas animações não são para os corações fracos. Cada secção do jogo está dividida em capítulos e a tua missão consiste em solucionar as misteriosas e violentas mortes das vítimas caídas nas mãos de loucos assassinos em série que assombram a casa de família.

A acção de jogo em breve se distingue de outros títulos do género de terror e sobrevivência, como sejam o Resident Evil e o Silent Hill, devido ao sistema de defesa de que Alyssa dispõe. Enquanto que Jill Valentine e outros, tinham acesso a armas, facas e a todos os tipos de armamento, aqui tudo o que tens para te acompanhar é o teu cérebro e uns liberais borrifos de água benta que te ajudam a manteres-te vivo. Apresentando um Medidor de Pânico exclusivo que monitoriza os níveis de stress de Alyssa, o Clock Tower 3 faz-te avançar no caminho passando sérios sustos, enchendo o medidor e tornando o teu progresso consideravelmente mais lento. Se quiseres recuperar a saúde da pobre rapariga, é possível esconderes-te até os tremores maiores passarem, antes de entrares de novo na luta.

Enquanto corres por ali, evadindo-te das várias assassinas aparições, serás ainda convocado por espíritos inquietos que procuram objectos de valor sentimental das suas vidas passadas. Se conseguires localizar o objecto que eles procuram e devolvê-lo ao fantasmagórico dono, continuarás o jogo lutando contra o assassino desse fantasma. Assim sendo, irás defrontar um louco armado com um martelo e outros psicopatas diversos, na tentativa de descobrires o misterioso passado da casa - e de te pores a andar de lá para fora.

Graficamente, o Clock Tower 3 tem tudo o que seria de esperar de um título da Capcom - personagens maravilhosamente desenhadas e cenários lindos cheios de ambiente. E as sequências animadas são das mais espectaculares que já se viram - embora talvez também sejam das mais violentas. Se gostas de jogos complexos, cheios de envolvência e tão assustadores como Freddy Krueger, Leatherface e Norman Bates todos juntos numa cena gloriosa de terror, então este é, definitivamente, o jogo para ti. E além disso, vais andar a correr por uma casa assombrada no papel de uma rapariguinha de 15 anos de saia curta - Espectacular!

 

  • Cenas notáveis fornecidas pelo controverso realizador Kinji Fukasaku, a sua última obra


  • Sistema único de Medição de Terror que é usado para controlar a vitalidade da tua personagem


  • Combate espíritos assassinos e resolve enigmas colocados por almas inquietas


 


Partilhar

Google+